FALE CONOSCO
49 99122.9001
Central de Atendimento
(49) 3304 4757 . sac@nutrir-sc.com.br
Postado em 30 de Agosto de 2016 às 15h06

Desde que há vida existem cuidados...

SAÚDE (56)
  • Nutrir Nutrição Enteral e Suplementação -

Cuidar, tomar conta, é um ato de vida que tem como finalidade assegurar a manutenção e continuidade da existência. Ao nascer já precisamos de cuidados. Em algum momento da nossa existência, também seremos cuidadores.

A doença, assim como a saúde, também faz parte da vida. Não somos imortais, desta forma, algum dia poderemos adoecer. Quando a doença surge, entende-se que houve um desequilíbrio, uma desarmonia orgânica e psíquica que interrompe a dinâmica de desenvolvimento do indivíduo consigo mesmo e com o mundo. Muitas vezes se esquece destes aspectos e passa-se a olhar apenas para a parte doente, esquecendo-se da história pessoal, familiar e social. 

O adoecer tem suas características próprias, de maneira original e individual. A partir deste olhar poderemos compreender o funcionamento da pessoa que adoeceu. Em que momento de sua vida surgiu a doença e o que ela interrompeu. Através desta percepção, é possível compreender alguns comportamentos apresentados com o surgimento da doença, além dos traços de sua personalidade.

É comum se deparar com pessoas acamadas ou dependentes de cuidados, que demonstram algum grau de agressividade e revolta, às vezes, dirigidas a quem está mais próximo e prestativo. Não quer dizer que estas demonstrações sejam em relação à pessoa que está ali ajudando, geralmente é pela situação de dependência e interrupções da vida lá fora que a doença ocasionou. Quando isso ocorre, a família se vê incapaz de lidar com a situação, e neste momento é importante contar com um auxílio, que pode ser de amigos e algumas vezes, de profissionais capacitados, que possam ajudar a compreender melhor a situação e, os auxiliem como lidar, para amenizar os desconfortos.

Quando algum membro da família adoece, as rotinas de toda família acabam mudando em função desta nova situação. A divisão de responsabilidades nos cuidados pode contribuir para aliviar a carga e fortalecer o vínculo dos envolvidos. Muitas vezes a família acaba necessitando de cuidados também, pois a dinâmica familiar muda para adaptar-se a esta nova circunstância.


Liciane F. Dalla Costa
Psicóloga CRP 12/05096
Psicooncologia/ Neuropsicologia/ Terapia Cognitiva e Terapia EMDR

Veja também

MEU FILHO NÃO COME, O QUE EU FAÇO? 15/02/19 Existe alguma criança que nunca recusou nada na mesa? Provavelmente não. A introdução alimentar é um processo lento e gradual. Como pais estamos ansiosos pra que nossos pequenos comam de tudo e de maneira saudável e por esse motivo esquecemos que esse pequeno, tem um tempo que é só dele, para se acostumar com essa nova fase.  O Ministério da......

Voltar para BLOG